Blog

Home / Conheça 5 melhores pontos turísticos de Estocolmo e Patagônia, destinos da premiação de Fevereiro

Conheça 5 melhores pontos turísticos de Estocolmo e Patagônia, destinos da premiação de Fevereiro

07 fevereiro, 2020 Núcleo Carioca 0 Comentários

Conheça 5 melhores pontos turísticos de Estocolmo e Patagônia, destinos da premiação de Fevereiro

Para você aproveitar ao máximo a sua premiação, o Núcleo Carioca preparou um miniguia com algumas das atrações imperdíveis nas cidades de Estocolmo e Patagônia.

Mas, antes, vamos conhecer um pouquinho mais sobre os detalhes desses destinos encantadores.

Estocolmo, a capital da Suécia, é um grande arquipélago formado por 14 ilhas e mais de 50 pontes que conectam um território ao outro. Calma, limpa, segura e com planejamento urbano exemplar, Estocolmo está entre uma das metrópoles com melhor qualidade de vida do mundo.

Diferente de muitas cidades europeias, o encanto da capital está na harmonia do conjunto e não em um ponto turístico específico. Transpirando charme na sua arquitetura e em suas lojas de design, os passeios a pé, de bicicleta ou de barco são atrações encantadoras.

Por falar em beleza natural, o outro destino da premiação é a Patagônia, um dos lugares mais belos do mundo. Localizada majoritariamente na Argentina, mas com uma parte que se estende além da fronteira do Chile, é rica em atrações para os amantes da natureza com paisagens que parecem ter saído de uma obra de arte com os seus glaciares, rios, lagoas, além das espécies marinhas, como pinguins, focas e baleias.

Para quem ama aventura, a Patagônia oferece uma gama de esportes radicais: trekking, escalada, mountain bike, rafting, canoagem, cavalgadas e ski. Já para quem quer relaxar, o lugar também é um ótimo destino, principalmente para uma viagem a dois. Belos passeios, hotéis com muito conforto, cidades charmosas, boa comida e um bom vinho vão fazer você aproveitar os dias de descanso. Só não esqueça de levar bastante agasalho, pois a região é muito conhecida por ventos fortes e gelados!

Abaixo, 5 dicas de passeios imperdíveis para fazer em cada uma dessas cidades.

ESTOCOLMO

1.Gamla Stan: o apaixonante centro histórico

Também conhecido como Centro Velho de Estocolmo, é o centro histórico onde a capital da Suécia foi fundada em 1252.

A melhor forma de explorar a área é caminhar sem rumo pelas ruas de pedra, becos estreitos e casas coloridas. Muito bem conservado, o centro velho carrega características medievais nos prédios icônicos e é repleto de cafés, restaurantes, museus e loja de souvenirs.

Não deixe de passar por alguns pontos nessa região, como Kungliga Slottet (Palácio Real), que é a residência oficial da família real. O palácio, que conta com 5 museus, 7 andares e 600 quartos, foi construído no século 18 e é uma mostra do barroco europeu. Aqui, acontece diariamente a troca de guardas como atração, cuja cerimônia dura 40 minutos.

Na Gamla Stan também estão a mais antiga igreja da cidade, Storkyrkan (Catedral de Estocolmo), e o Museu do Prêmio Nobel, NobelMusset, este na praça Stortorget (o coração da região).

A melhor forma de chegar à Gamla Stan é pela enorme rua que passa por uma ilha adjacente, chamada Helgeandsholmen. Nesta ilha, há uma única construção, que é o Parlamento Sueco (Riksdag), cuja arquitetura apresenta um estilo neobarroco clássico e vale muito a pena a visita.

2.Ilha de Djurgården e seus museus

Nesta ilha ao leste da cidade estão localizados os principais museus de Estocolmo.

Skansen, é um museu ao ar livre aberto em 1891. Ele é uma espécie de cidade em miniatura e apresenta a arquitetura e o estilo de vida sueco ao longo das décadas. Os funcionários caracterizados com roupas de época, os edifícios típicos, as escolas, os comércios e as casas com móveis antigos te levam a uma viagem no tempo. Além disso, o museu conta com um zoológico com animais do norte europeu, como focas, alces, ursos e lobos.

Outra visita imperdível é o museu Vasamusset, que abriga um navio de guerra do século 17. A embarcação Vasa foi construída ao longo de 2 anos para ser o maior navio de guerra da marinha sueca, mas, infelizmente, naufragou 20 minutos após a sua partida matando muitos tripulantes. Três séculos depois ele foi recuperado e restaurado.

Para os fãs de música pop, vale a pena incluir o museu do ABBA no roteiro. Ele apresenta um pouco da história pessoal de cada um dos integrantes do quarteto que ficou mundialmente famoso nos anos 70. Também dispõe de discos, roupas, fotos e vídeos da banda em uma estrutura moderna e interativa.

Curte um passeio com mais adrenalina? Então aproveite para visitar o parque de diversões Gröna Lund. Com vista para o mar e mais de 120 anos de história, não é um parque muito grande, mas tem brinquedos para todas as idades, como barraca de pescaria, boca do palhaço e, claro, as montanhas russas.

Outros museus que valem a pena conhecer em Estocolmo: Moderna Musset (arte moderna e contemporânea, com artistas como Matisse, Picasso e Dali), Nationalmuseum (Museu Nacional de Belas Artes da Suécia, tem em seu acervo diversas peças desde a Idade Média até os dias atuais – entre as pinturas, destaque para Rembrandt, Goya, Renoir, Manet, Degas, Camille Pissarro, Cézanne e Gauguin) e Fotografiska (para amantes da fotografia, possui obras de fotógrafos renomados e também de iniciantes e amadores. No bar, é comum acontecerem eventos à noite).

3. Gastronomia: Östermalms Saluhall  e restaurante Aipur

Conhecer as delícias culinárias de uma cidade é parte fundamental de uma viagem, por isso, não deixe de visitar o Östermalms Saluhall (Mercado Municipal de Estocolmo). Ele é considerado um monumento histórico, arquitetônico e cultural da cidade.

O mercado conta com 17 estabelecimentos entre bancas de ingredientes e restaurantes que oferecem uma grande diversidade de comida de qualidade em um ambiente muito acolhedor.

Resultado de imagem para Östermalms Saluhall estocolmo

Assim como a maior parte das construções de Estocolmo, o mercado, construído em 1888, também é carregado de história. A parte externa se assemelha a um castelo medieval com torres e tijolos bem vermelhos enquanto a parte interna é inspirada na estrutura de sustentação da Torre Eiffel. Para comemorar os 130 anos do Saluhall, a prefeitura iniciou um processo de revitalização que vai incluir a recriação do chão original de 1888 em forma de estrela.

A previsão de reabertura é 5 de março de 2020, mas, não se preocupe, pois enquanto isso, é possível experimentar as comidas típicas no prédio temporário (ao lado do prédio original). 

E, já que estamos falando de um país com história marcada por descobertas vikings, a sugestão de restaurante fica por conta desta temática.

O Aifur (localizado na Gamla Stan) tem a proposta de oferecer uma noite na era medieval. Todos os detalhes são inspirados na cultura viking, desde as comidas típicas até a decoração, música, vestimenta dos garçons, iluminação, talheres e o menu. As mesas são de madeira e compridas para acomodar grupos diferentes, possibilitando a interação entre os clientes.

A especialidade é a comida típica da Escandinávia. Os pratos recebem o nome de um rei ou personalidade importante e o menu apresenta a descrição de como cada prato foi criado historicamente. Uma dica importante: faça reservas com dias ou semanas de antecedência, pois costuma ficar muito cheio.

4.Passeio de barco

Como já foi dito por aqui, Estocolmo é uma cidade formada por diversas ilhas. Mais de 30% da capital é formada por água, então nada mais natural do que um passeio de barco para ver a sua beleza de outro ângulo.

Suécia: O que fazer em Estocolmo - Roteiro de 2 ou 3 dias

Uma ótima opção é comprar o Stockholm Pass e intercalar o barco e ônibus como meio de transporte para se locomover de um ponto ao outro.

5.Noite em Estocolmo

Quem quiser conhecer a noite de Estocolmo, prepare-se para uma vida noturna elegante e agitada, mas que começa cedo.

O Café Ópera é considerado uma das melhores noites em Estocolmo, porém tem preços salgados e os seguranças podem ser bem seletivos na escolha do público que frequenta o local (vá bem arrumado). A balada funciona dentro da Ópera de Estocolmo, um ponto turístico e com uma linda vista da cidade.

Outro local muito conhecido é a Sturecompagniet, uma das boates mais antigas da Suécia. Um local incrível, com dois andares de muito requinte e show de iluminação.

Já para os amantes de jazz, aproveite a noite na Fasching. Aberta em 1977, é uma sala de concerto, clube, restaurante e bar que recebe talentos desconhecidos, além de grandes estrelas do jazz.

Se a sua preferência for um bom pub com cervejas artesanais, aqui vão boas opções.

O Akkurat é o bar com maior número de cervejas da Suécia e conhecido até em outros países. São, aproximadamente, 600 cervejas diferentes e mais de 25 opções oferecidas na pressão. Na linha contrária, o Nils Oscar Bar é uma micro-cervejaria de Estocolmo com fama entre os apreciadores de cervejas especiais.

E que tal conhecer o Duvel Café? O bar temático da Duvel tem diversas opções na pressão, além de cervejas de garrafa.

Aqueles que não fizerem questão de locais badalados, podem passear à noite pela Gamla Stan. Com uma animada vida noturna, a região dispõe de diversas opções de pubs para apreciar a cerveja e a culinária sueca.

PATAGÔNIA ARGENTINA

1.Trekking e a incrível geleira Perito Moreno

Em El Calafate, uma charmosa cidade argentina, está localizado o Parque Nacional Los Glaciares, declarado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade em 1981. Este parque abriga quase metade dos 2.600 km2 do campo de gelo da Patagônia, considerado o terceiro maior do mundo depois da Antártida e da Groenlândia.

Dentre as geleiras do parque, uma das paisagens mais bonitas e emblemáticas a Perito Moreno, cuja extensão é de 5 km de largura com paredes de 60 metros de altura. Um dos fenômenos naturais mais esperados no parque é o desprendimento de gelo da Perito Moreno nas águas do canal, algo que acontece somente de tempos em tempos.

O passeio de trekking engloba três modalidades. Ele começa em uma navegação para que você fique no ponto certo para começar a caminhada. Além do frio, o passeio pode ser cansativo, mas a sensação de passear por cima do gelo e ficar muito perto do glaciar vale o esforço. Após a volta do trekking, ainda há a caminhada pelas passarelas para apreciar o Perito Moreno de frente.

Além do Parque Nacional, a cidade de El Calafate oferece boa gastronomia e lojas de artesanato. Para provar o prato típico da região, sente em algum dos restaurantes da Avenida Del Libertador e peça pelo cordero al asador, um cordeiro preparado no fogo de chão. De sobremesa, opte pelo doce de calafate – preparado com a fruta que vem dos arbustos que dão nome à região. E, claro, para beber, um vinho argentino é sempre uma boa pedida!

2.Ushuaia e o Parque Nacional da Terra do Fogo

Ushuaia é a última cidade do continente sul americano, localizada junto ao Canal de Beagle e, por isso, é uma das cidades mais frias da Argentina. É conhecida como Tierra del Fuego (Terra do Fogo), pois os navios estrangeiros que passavam pela ilha avistavam a fumaça das fogueiras dos povos nômades.

A visita ao Museu Marítimo e Presídio de Ushuaia mostra um pouco da história da ocupação da região. Após o fechamento de dois presídios militares e da base naval, o local foi transformado em um conjunto de museus. Há uma parte conservada como o presídio original, onde pode-se perceber as condições extremas em que os presos viviam.

 

A atração do Trem do Fim do Mundo é uma Maria Fumaça que realiza um passeio com os 7 últimos quilômetros do trajeto original feito pelo trem que levava os presidiários e conta com uma parada para registrar a região.

O destino final do trem é o Parque Nacional da Terra do Fogo. O parque foi criado em 1960 para preservar a fauna e flora local e é abundante em bosques de lengas, guindos, arbustos, musgo e samambaias. Ao longo do passeio pelo parque também é possível apreciar a linda vista de lagos, pássaros e de uma colônia de castores. 

Dentro do Parque Nacional há, ainda, uma agência dos Correios Argentinos onde é possível enviar um cartão postal a partir da Agência do Fim do Mundo e receber o Carimbo do Fim do Mundo no seu passaporte (importante: esta agência só abre em alguns meses do verão). Uma dica para quem não conseguir o carimbo na agência dos Correios é ir ao Centro de Informações Turísticas, na orla de Ushuaia.

3.Catamarã em Ushuaia: caminhada com pinguins + Estreito de Beagle

Além da beleza do parque em Ushuaia, outro passeio imperdível é o catamarã pelo Estreito de Beagle com navegação pinguinera (caminhada com os pinguins). O passeio começa no porto turístico do Canal de Beagle e navega por águas argentinas apreciando a vista das montanhas do lado chileno.

Além das magníficas montanhas, glaciares e a linda visão dos Andes, você poderá ver várias espécies da fauna da região, como aves marinhas nas Ilha dos Pássaros e lobos marinhos na Ilha dos Lobos. Chegando ao famoso Farol Les Eclaireur também é possível avistar uma espécie de lobo marinho, conhecido como cormoranes e que costuma ser muito confundido com pinguins.

O passeio também inclui a visita à Estância Harberton e o Museu Acatushún de Aves e Mamíferos Austrais, com ossadas de baleias, pinguins, leões marinhos e golfinhos.

Porém, o ponto mais esperado do cruzeiro é o desembarque na Ilha Matillo, onde é possível caminhar ao lado dos pinguins e seus filhotes. São pinguins de diferentes espécies, mas principalmente os Pinguins de Magalhães (aqueles que possuem duas faixas pretas na altura do ombro até o pescoço). No verão, a ilha também recebe a visita de aves como skúas, petreles, cormoranes e gaivotas, tornando o passeio ainda mais especial e inesquecível!

4. Expedição em 4×4 e jantar na caverna

Conhecida como Experiência Nativa, esse passeio é perfeito para descobrir um lado menos conhecido da Patagônia. Ele oferece uma abordagem antropológica e uma viagem através do tempo em uma expedição em um 4×4 que termina com um almoço ou jantar (dependendo da hora que você for) dentro de uma caverna.

Resultado de imagem para jantar na caverna patagonia

A expedição acontece pela costa do Lago Argentino, onde você recebe uma aula sobre a fauna e flora da região. Nos Penhascos de Punta Bonita é possível se deslumbrar com a vista panorâmica do lago e a Cordilheira dos Andes.

A parada final é na zona arqueológica para o almoço ou jantar. Foram nestas cavernas onde a cultura Telhueche deixou suas inscrições nas rochas. Essa parte é feita a pé e, caso seja noite, com lanternas – o que cria um clima encantador de aventura. A refeição (entrada, prato principal e sobremesa) costuma ser com gostinho de comida caseira e acompanhada de vinho.

5.Cavalgada no Lago Roca

Passear de cavalo pelas belíssimas paisagens de El Calafate proporciona uma conexão com a natureza de uma forma muito singular. É um programa para o dia todo com direito a refeição e que diverte muito as crianças.

Existem diversas opções de trilhas e passeios oferecidos por guias turísticos na Patagônia, mas aqui vamos citar a cavalgada pelo Lago Roca, em El Calafate.

Imagem do Glaciar Perito Moreno em El Calafate

O passeio inclui as lindas e tradicionais vistas de lagos, bosques e animais silvestres da Patagônia. Porém, há um detalhe especial: a parada em um mirante para admirar a imensidão do local com a vista panorâmica do Glaciar Perito Moreno, das montanhas nevadas e dos lagos. Aqui é mais lugar para ficar boquiaberto com a beleza natural da região!

 


Adicionar comentário

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES